Os Quatro Pilares para a Prova Discursiva | Aldair Lazzarotto

Os 4 (quatro) Pilares para Estruturação da Prova Discursiva de Auditor Fiscal do Trabalho (AFT)

Olá, tudo bem? Hoje falaremos sobre aos quatro pilares essenciais para você estruturar sua prova discursiva de Auditor Fiscal do Trabalho (AFT). Essas dicas servem também para provas de tribunais e para concursos fiscais em geral. Sempre que a banca solicitar a abordagem de um tema específico,  esses aspectos devem fazer parte de sua resposta.

São 4 (quatro) pilares essenciais para estruturar a argumentação do seu parágrafo. Chamo esses pilares de RE-FU-RE-CO (mneumônico para se lembrar da sílaba inicial de cada pilar). Se você aplicar essas estratégias ao resolver sua prova discursiva, tenho certeza de que a segunda fase do concurso não será mais um problema para você. Pelo contrário, passará a ser uma grande aliada em sua aprovação, assim como aconteceu comigo em todas as provas de TRT em que fui aprovado e na prova de AFT.

Esses pilares te auxiliarão na construção de sua resposta mesmo que você não domine inteiramente o conteúdo cobrado. Eu já testei tudo o que vou dizer, em situações REAIS, resolvendo provas discursivas em concursos. Muitos alunos também já obteram excelentes resultados em provas discursivas ao aplicar estas orientações. Agora chegou a sua vez! Tenho certeza que após você ler este artigo a etapa dissertativa não será mais um problema, mas uma aliada em sua aprovação.

Porém, antes de falar sobre os pilares, você precisa se lembrar de que para resolver uma prova discursiva é necessário se preocupar com três áreas de conhecimento:

Áreas Necessárias para Resolver a Prova Discursiva de Concurso

1 – Conteúdo Específico: Trata-se do conhecimento da disciplina objeto de cobrança (Direito Constitucional, Direito do Trabalho, Segurança e Saúde no Trabalho, Direito Administrativo, etc). A melhor forma de se preparar neste item é estudando o conteúdo, seja pelo seu livro ou pelo PDF, aula presencial, videoaula etc. Ou seja, a preparação em termos de conteúdo para a discursiva você já inicia estudando para a prova objetiva (primeira fase). 

2 – Língua Portuguesa: Para se elaborar uma boa redação, há necessidade de ter, ao menos, conhecimentos básicos de língua portuguesa (gramática, ortografia, regência, etc). Essa área é a chamada Microestrutura Textual. Você estuda este item em seu curso/aula de português. 

3 – Macroestrutura Textual: É a principal área de conhecimento para provas discursivas. Seu desconhecimento é o que mais reprova candidatos nessa fase do concurso. Veja bem o que eu disse: NÃO é o desconhecimento do assunto (conteúdo específico) ou o cometimento de muitos erros gramaticais que reprova a maioria dos candidatos. É o domínio de regras básicas sobre como abordar o assunto, como estruturar as ideias no texto, como apresentar a resposta ao examinador de forma adequada, etc. Abrange a argumentação, o domínio linguístico, o alinhamento e o desenvolvimento do tema, a cobertura dos tópicos, etc. 

É sobre essa área (MACROestrutura) que se fundamentam os 4 (quatro) pilares essenciais que vou apresentar para você. 

Os  4 (quatro) Pilares para a Discursiva

1º Aspecto

O primeiro é a RETOMADA DA PROPOSTA TEMÁTICA. Retomar a proposta nada mais é que reescrever parte do tópico (aspecto, item) cobrado pela banca, preferencialmente com as mesmas palavras. Isso ajuda muito o examinador (que, em regra, não é um profundo conhecedor do conteúdo, mas um professor de língua portuguesa) a encontrar a resposta em seu texto. O ideal é você retomar a proposta já no início do parágrafo.

Veja abaixo a aplicação desse pilar na resolução do tópico 1 da Q2 de Economia do Trabalho cobrada no concurso de AFT/2013. O tópico exigia que o candidato respondesse ao seguinte:

Os efeitos macroeconômicos da negociação coletiva sobre o nível de desemprego e a inflação“.

Ao iniciar a resposta, o candidato já deveria escrever algo bem próximo a isto:

Os efeitos macroeconômicos da negociação coletiva sobre o nível de desemprego e sobre a inflação, de acordo com (…)”

Veja que foram repetidas as palavras chaves usadas pelo examinador (efeitos macroeconômicos, negociação coletiva, desemprego, inflação). Você pode achar que é uma abordagem simplória. É mesmo! Mas é essa abordagem objetiva que o examinador espera encontrar em sua prova.

2º Aspecto

O segundo pilar para estruturação do parágrafo discursivo é a FUNDAMENTAÇÃO. A modalidade de dissertação mais cobrada em concursos em que se exigem conhecimentos específicos é a dissertativo-expositiva. Nesse modelo, você deve utilizar uma linguagem formal, técnica ou científica. Sua opinião e expressão pessoal não importam (ela teria relevância apenas na modalidade dissertativo-argumentativa). O examinador busca a resposta legal, jurisprudencial ou doutrinária majoritária e não o que você pensa sobre o assunto.

Por isso, fundamentar suas argumentações constitui o segundo ponto essencial para a sua discursiva. Você pode fundamentar com seu autor preferido, desde que seja uma referência na área, com a Constituição Federal, com as Leis Específicas, com sítios eletrônicos oficiais e até mesmo com fatos públicos notórios, conforme o caso. Veja no primeiro tópico da Q2 de Economia do Trabalho como foi feita a fundamentação:

Os efeitos macroeconômicos da negociação coletiva sobre o nível de desemprego e sobre a inflação [RETOMADA DA PROPOSTA], de acordo com Calmfors e Driffill, dependem do(…)”

Veja que citei os autores Calmfors e Driffill (autoridades no assunto) para fundamentar a argumentação posterior.

3º Aspecto

O terceiro pilar da sua discursiva é a RESPOSTA. Isso mesmo! Depois de retomar a proposta e de fundamentar, é hora de, efetivamente, RESPONDER AO TÓPICO solicitado pelo examinador. Veja abaixo como foi elaborada a resposta, após a retomada e a fundamentação, no tópico 2 da questão de Economia do Trabalho. O tópico exigia o seguinte:

“Indique a razão econômica de o resultado da taxa de desemprego ser menor em países com determinação salarial no âmbito da firma ou no âmbito centralizado que em países com determinação salarial no âmbito da indústria”.

Veja o parágrafo argumentativo:

Conforme Flávio Augusto Basílio [FUNDAMENTAÇÃO], a razão econômica de o resultado da taxa de desemprego ser menor em países com determinação salarial no âmbito da firma ou no âmbito centralizado que em países com determinação salarial no âmbito da indústria [RETOMADA DA PROPOSTA] são a capacidade de pressão salarial dos sindicatos e a forma com que eles consideram a influência do aumento de salário na inflação [RESPOSTA]“.

4º Aspecto

O quarto pilar é o COMPLEMENTO, que também pode ser chamado de DESENVOLVIMENTO DO TEMA. Você precisar focar no topo, ou seja, almejar estar no grupo dos primeiros colocados. Para isso, é necessária uma excelente nota na prova discursiva. No concurso de AFT, os primeiros colocados podem optar por uma lotação melhor e terão preferência em futuras remoções.

 Já pensou nisso? Já se imaginou sendo aprovado entre os primeiros colocados no concurso de seus sonhos?

Normalmente, os candidatos que chegam a segunda fase  de um concurso de alto nível possuem conhecimentos das disciplinas muito similares. Por isso, a resposta objetiva e correta na prova discursiva é dada pela maioria deles. Então, o que explica a discrepância nas notas? Um dos fatores é o desenvolvimento do tema. Talvez você já tenha visto uma das seguintes expressões em seu espelho de redação: “desenvolvimento incompleto“, “faltou desenvolver o tema“, “não aprofundou o assunto” e outros.

Essas expressões são referentes a uma abordagem muito pragmática  e simples do candidato. A resposta pode até estar correta, mas não foi aprofundada e a nota pode ser reduzida em até 40%. Veja o complemento (ou desenvolvimento do tema) na abordagem do segundo tópico da Q2 da prova de AFT/2013:

Conforme Flávio Augusto Basílio [FUNDAMENTAÇÃO], a razão econômica de o resultado da taxa de desemprego ser menor em países com determinação salarial no âmbito da firma ou no âmbito centralizado que em países com determinação salarial no âmbito da indústria [RETOMADA DA PROPOSTA] são a capacidade de pressão salarial dos sindicatos e a forma com que eles consideram a influência do aumento de salário na inflação [RESPOSTA]“.

Segundo o autor, os sindicatos que operam apenas no âmbito da firma possuem baixa possibilidade de fazer pressões salariais, ou seja, não são suficientemente fortes para alterar os salários de mercado. Já no âmbito centralizado, os grandes sindicatos levam em conta em suas negociações os efeitos das demandas por aumentos salariais sobre a inflação e o desemprego. Por essa razão, o salário não aumenta o suficiente para elevar a taxa de desemprego“. [COMPLEMENTO – ARGUMENTO 1]

Por outro lado, no âmbito da indústria, os sindicatos exercem relativo poder de mercado, mas não consideram os efeitos adversos provocados pelos aumentos salariais no desemprego e na inflação. Por essa razão, o salário aumenta em nível suficiente para elevar a taxa de desemprego“. [COMPLEMENTO  – ARGUMENTO 2]

Veja que até o final do primeiro parágrafo já havíamos fundamentado, retomado a proposta temática e a resposta está clara, direta e objetiva. Mas você notou que ainda falta algo? Se você leu com atenção a proposta e a resposta, deve ter se perguntado POR QUEa capacidade de pressão salarial dos sindicatos e a forma com que eles consideram a influência do aumento de salário na inflação” [RESPOSTA] É A “razão econômica de o resultado da taxa de desemprego ser menor em países com determinação salarial no âmbito da firma ou no âmbito centralizado que em países com determinação salarial no âmbito da indústria” [PROPOSTA] .

Essa afirmação necessita de uma explicação, exemplificação ou detalhamento. Isso é o desenvolvimento do tema. Mas, cabe esclarecer que o desenvolvimento não é sempre obrigatório. Algumas questões discursivas prescindem de complemento. A resposta objetiva, clara e direta já pode ser suficiente para esgotar o assunto proposto. Em outros casos, o número de linhas mal dá para responder à proposta de forma objetiva. Deve-se analisar caso a caso e, sempre que possível, você deve observar os quatro eixos (pilares) na construção de sua argumentação.

Para que você não se esqueça da estrutura de construção de seu parágrafo argumentativo, nunca abandone o RE-FU-RECO:

RE – Retomada da Proposta Temática.

FU – Fundamentação.

RE –  Resposta.

CO –  Complemento (ou Desenvolvimento do Tema).

Comentários

Comentários